Notícias

PRF: Segunda edição da Operação Nacional de Segurança Viária é realizada em Pernambuco

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) iniciou a segunda edição da Operação Nacional de Segurança Viária, que encerra na próxima segunda-feira (24), e tem como objetivo reduzir acidentes graves em trechos considerados críticos nas rodovias federais de Pernambuco.

De acordo com a Ascom PRF as ações são orientadas pelo levantamento dos locais onde mais ocorreram acidentes graves nos últimos anos e também durante o período da pandemia de Covid 19.

Apesar da redução no número de acidentes, feridos e mortes em Pernambuco nos primeiros sete meses deste ano, a análise apontou que a BR 101, no trecho que compreende os municípios de Igarassu até o Cabo de Santo Agostinho, ainda se destaca pela quantidade de ocorrências graves no estado. Mesmo com a redução na movimentação de veículos, sobretudo no início da pandemia, o tráfego de veículos de carga e a proximidade com áreas urbanas ainda contribui para a violência no trânsito nesses locais.

O levantamento foi dividido em trechos de dez quilômetros e aponta que a maior quantidade de acidentes graves se concentra entre os Kms 70 a 80, entre Recife e Jaboatão dos Guararapes. Em seguida, destacam-se os Kms 60 a 70, no Recife e na sequência o intervalo dos Kms 80 a 90, de Jaboatão dos Guararapes até o Cabo de Santo Agostinho.

Historicamente, cerca de 60% dos leitos de hospitais são ocupados por vítimas de acidentes de trânsito, e a redução da acidentalidade contribui diretamente para o melhor atendimento nas unidades de saúde, que podem receber mais pacientes de Covid 19. Neste sentido, a Operação Nacional de Segurança Viária possui um caráter preventivo e irá direcionar as ações de policiamento e fiscalização com foco na segurança viária, em especial na prevenção e redução da gravidade dos acidentes de trânsito.

 

Comparativo de acidentes nas rodovias federais de Pernambuco

PRF Janeiro a Julho 2019 Janeiro a Julho 2020
     
Acidentes 1551 1370
Feridos 1605 1410
Mortes 190 164

 

Com  informações da Ascom PRF

Deixe seu comentário