Notícias

Trabalhadores da construção civil entram na justiça contra atual presidente do Sinticon

Depois de terem a inscrição da chapa impugnada pelo atual presidente e candidato a reeleição do Sinticon, trabalhadores da construção civil entraram na justiça contra o que eles alegam ser abuso de poder. Um dos representantes, o Evaldo Braga, conhecido como Pombo mestre de obras, participou do Programa Cláudio Farias para explicar aos trabalhadores da construção civil de Petrolina a situação constrangedora pela qual estão passando.

De acordo com Pombo, a oposição inscreveu uma chapa com 12 companheiros, de seis empresas diferentes de Petrolina, isso no dia 13 de outubro. Já no dia 15 do mesmo mês foram surpreendidos com a notícia que Pedro Portugal, atual presidente do sindicato e candidato à reeleição havia sem explicações plausíveis, impugnado a inscrição da chapa de oposição.

Ainda segundo Pombo o Pedro ainda descumpriu todos os prazos do estatuto e em total demonstração de abusado de poder. “Ele lançou o edital sem uma comissão eleitoral, sem divulgação, não disse os locais onde as urnas irão passar, além de diminuir o horário de votação em plena pandemia, quando o correto seria estender o tempo de votação já que não se pode aglomerar”, expôs acrescentando que “o último dia de inscrição da chapa foi no sábado, dia em que o sindicato se quer funciona, ou seja, erros infantis. E para piorar, o Pedro está ligou para todos os patrões para entregar os nossos companheiros que estão na nossa Chapa, com o objetivo de incentivar e os patrões a demitir 12 pais de famílias. Um verdadeiro dedo duro”, declarou durante a entrevista.

Pombo foi enfático ao afirmar seus direitos e disse que apenas os sócios tem o direito de decidir quem será o novo presidente e que vai aguardar decisão da justiça e continuar a campanha demonstrando que o objetivo da Chapa de Oposição é a luta pela categoria.

Por Lidiane Souza/Ponte FM

Deixe seu comentário